Historia da Autoestima Nacional - Uma ivestigação sobre monarquia, republica e preservação do interesse público.

Mais informações

Por: R$ 50,00 Em 3x de: R$ 16,67

Comprar
Consulte aqui o valor do frete e prazo de entrega do produto
Opção de parcelamento via cartão de crédito
  • 1x de R$ 50,00 sem juros
  • 2x de R$ 25,00 sem juros
  • 3x de R$ 16,67 sem juros
Avalie:

O debate sobre república e monarquia no Brasil necessita de mais substância. A questão fundamental é sobre regimes políticos capazes de preservar o interesse público e os que não o são. Alan Ryan nos alerta que a Inglaterra trata a res publica, o interesse público, num nível que poucas repúblicas conseguem fazê-lo. Ou seja, não há como definir preferência sem levar em conta o contexto histórico e cultural de cada país.

O título deste livro poderia ter sido História da autoestima nacional que a república não quer que você saiba. O título da capa buscou evitar a interpretação de sabor panfletário, coisa que não é, pois apresenta argumentos sólidos.

A tradição docente dos rabinos busca dar contexto ao ato de pensar de seus alunos. Ao invés da resposta óbvia de que o cavalo mais rápido chegaria antes, eles diriam que isso dependeria de saber se o cavalo está indo na direção correta (eficácia). Isto lhes permite entender a diferença entre eficácia e eficiência. Esta significa fazer certo, mas não necessariamente fazer a coisa certa, como nos ensina Peter Drucker.

No Brasil, estamos diante do fato absurdo de um regime que, após mais de 130 anos de implantado, o dobro do tempo que durou o Império, nos apresenta como resultado uma verdadeira ficha policial: corrupção sistêmica, desigualdade quase campeã mundial e políticos que não nos representam. O negativo da foto do que era o País no final do Império.

Pior ainda. O fundador, e depois presidente, do Partido Republicano Paulista, criado em 1870, foi taxativo: “Nosso objetivo é fundar a república, e não libertar os escravos.”

Tanto repúblicas como monarquias podem preservar o bem comum. Ou não. O veredito, para ser eficaz, tem que levar em conta o referido contexto histórico-cultural de cada nação. Certamente, este não foi o caso do Brasil após essas malfadadas 13 décadas republicanas. O cavalo jamais esteve na direção correta.

Este livro propõe um debate civilizado sobre a questão. Quem sabe você acabará chegando ao mesmo resultado de dois intelectuais ingleses, que não eram monarquistas. Através de diversos indicadores socioeconômicos, investigaram quais seriam os cinco países que melhor preservavam o bem comum. Descobriram, a contragosto, que eram cinco monarquias parlamentares. Leia para crer.

Gastão Reis Rodrigues Pereira é Doutor pela Universidade da Pensilvânia (EUA).

Código de barras:
9786599442070
Dimensões:
0.22cm x 0.15cm x 0.03cm
Volume:
1
Marca:
Linotipo Digital
Idioma:
PORTUGUES
ISBN:
9786599442070
ISBN13:
9786599442070
Número de páginas:
274
Peso:
356 gramas
Encadernação:
Brochura